Feminismo: a nossa voz

Por Leo Fekayamale

Falar de feminismo na nossa sociedade, a angolana,  tem gerado bastante polémica. Esta polémica é muitas vezes causada por aqueles que não sabem o que é o feminismo e se prontificam a fazer juízos com uma rapidez que os leva a chegar a conclusões completamente distorcidas sobre o que é o movimento. Antes de avançarmos, vamos então a uma pequena definição do que é feminismo: um movimento político, filosófico e social que defende igualdade de direitos entre mulheres e homens. E não defende superioridade das mulheres sobre os homens ou apregoa “o fim da paz mundial” como muitos pensam, aliás a paz mundial é coisa que outros se ocupam de prejudicar.

O feminismo surgiu da necessidade de se fazer justiça em relação às mulheres que eram sempre deixadas em segundo plano e tratadas como meras serventes domésticas, ou seja, só serviam para cuidar da casa e parir filhos, e nem sequer fazendo isso recebiam “algum valor”. As mulheres não decidiam, não opinavam, nem sequer a definir ou planificar sua própria vida tinham direito: os homens decidiam absolutamente tudo, definiam os caminhos em que as mulheres deviam andar, como e com quem deviam falar, casar, quantos filhos deviam ter, como se deviam vestir, sentar ... A lista de “regras e proibições” é enorme. Entretanto, aos homens, tudo se permitia, nada era proibido, e exercer o poder sobre as mulheres era das coisas que mais viam como seu direito.

Diante das desigualdades, mulheres corajosas começaram lutas que até aos dias actuais nos servem de base e inspiração para continuarmos a lutar por um mundo igual e justo. O feminismo tornou-se a nossa voz, a nossa arma para enfrentar as batalhas de desigualdade em vários campos da sociedade. Há quem diga que na sociedade angolana não se precisa de feminismo, outros dizem ainda que só precisamos todos de ser humanistas para acabar com todas as maldades que assolam a sociedade. Só que não é bem assim. Enquanto existirem milhares de mulheres a perder a vida a cada dia que passa por causa do estupro e da violência doméstica, enquanto existirem meninas a casar com adultos, enquanto o assédio sexual for visto como normal, enquanto existirem mulheres impedidas de se auto desenvolver intelectual e profissionalmente, enquanto nos for negado o direito a decidir o que fazer com os nossos corpos (e não usá-lo só para dar filhos a um homem), nós usaremos o feminismo como voz, sim, para reclamar os direitos que nos são negados, quer alguns queiram quer não.

Alguns dos principais objectivos do feminismo são os de que mulheres adquiram o poder sobre elas mesmas, que as mulheres sejam cada vez mais independentes e livres de todos padrões que foram impostos pelo sistema patriarcal baseados em “mulher não pode isso e aquilo, mulher deve ser isso ou aquilo”. Dizemos "não" a esses padrões de comportamento, e com nossa própria voz dizendo "Podemos Sim"! Ainda, fazem parte dos objectivos feministas o desenvolvimento profissional da mulher em todas as dimensões da sociedade, a promoção da participação da mulher nas tomadas de decisões nos vários domínios que compõem a sociedade.

Por tudo isso o Feminismo é a nossa arma, nossa voz!

 

Foto cedida por Paula Agostinho, todos os direitos reservados 
Ondjango Feministafeminismo