Minna Salami e as bases ideológicas
do Feminismo africano

Por Âurea Mouzinho

Minna Salami é uma das mais influentes vozes do Feminismo Africano contemporâneo. Através do seu blog MsAfropolitan, das palestras que apresenta em vários fóruns e das crónicas que escreve para vários jornais e revistas internacionais, Minna, que é escritora, pensadora e consultora feminista de origem nigeriana e finlandesa, tem contribuído grandemente para a criação e propagação de uma consciência política sobre o Feminismo Africano pelo mundo à fora. 

No artigo Sete Questões-Chave No Pensamento Feminista Africano , ela reflecte sobre aquelas que são, na sua opinião, algumas das questões de maior interesse para o pensamento feminista africano. A autora demostra, de forma perspicaz, porque é que o Feminismo Africano não se preocupa apenas com a opressão patriarcal – isto é, a subalternização política, económica, cultural, etc. das mulheres em relação aos homens, tanto na vida pública como privada –, mas também com todos os outros processos sociais, económicos e políticos que afectam as vidas das mulheres africanas no continente, na diáspora, e todas as mulheres que estão, vivem e trabalham em África. Dentre estes processos, Minna destaca seis, para além do patriarcado: a raça, a sexualidade, a tradição, o desenvolvimento, o feminismo internacional, e a arte. Com uma abordagem simples e directa, o artigo expõe porque é que todas essas questões são centrais para o pensamento feminista africano, e como é que elas se interligam através de um compromisso com a justiça social no seu sentido mais amplo. 

A religião, a classe, o capitalismo, a hegemonia dos estados, o ambiente, e o conflito, por exemplo, são alguns dos assuntos que Minna não aborda directamente, mas que também têm um impacto profundo na condição social das mulheres africanas. Contudo, é nesta selectividade onde também se encontra a mais-valia do artigo: a profundidade que dá à abordagem de cada uma das questões chaves apresentadas. Assim sendo, o texto destaca-se como uma referência essencial para o entendimento das bases ideológicas do feminismo africano contemporâneo, e, portanto, um ponto de partida útil e elucidativo para aquelas e aqueles interessados em aprofundar o seu conhecimento sobre o tema.  

Boa leitura.